Disfunção Erétil: o grande tabu

Disfunção erétil

A disfunção erétil (DE), popularmente conhecida como impotência sexual é uma das principais queixas do sexo masculino, estudos recentes estimam que cerca de 152 milhões de homens no mundo inteiro, sendo que 10% dos homens com idade superior a 40 anos apresentam a DE na sua forma completa.

Estes dados alarmantes, além do fator idade, estão geralmente associados a outros fatores como tabagismo, uso de drogas, hipertensão arterial, diabetes, obesidade, hiperplasia prostática benigna (HPB), insuficiência cardíaca, HDL-colesterol reduzido, distúrbios psiquiátricos (ansiedade, estresse e depressão), bem como antecedentes pessoais de cirurgias, traumas e radioterapia em região pélvica.
Inicialmente a ereção tem como gatilho os estímulos recebidos pelo sistema nervoso central (SNC), através da visão, audição, olfato, tato e imaginação sendo portanto a libido é um fator psicológico que corresponde ao desejo sexual.
Por questões culturais, sabe-se que é muito difícil um paciente do sexo masculino procurar um médico e como agravante a DE ainda é um grande tabu para o homem pelo constrangimento que o mesmo acaba tendo para admitir que é protador do problema, daí a importância da boa relação entre médico e paciente.
Falando-se em tratamento, ressalta-se o fato de que a educação do paciente e do parceiro é fundamental, assim como o tratamento e controle de toda e qualquer doença de base que possa estar interferindo no tratamento e/ou atuando como agravante do quadro de DE. Dentre as opções terapêuticas mais utilizadas podemos citar: inibidores orais da fosfodiesterase- 5 (PDE-5i); as prostaglandinas injetáveis (via uretral ou via intracavernosa); reposição de testosterona; psicoterapias; e as proteses penianas. É importante lembrar que antes de ingerir qualquer medicamento ou tomar qualquer atitude por conta própria, deve-se consultar um médico qualificado a fim de que o mesmo possa reconhecer e diagnosticar cada caso, visando instituir o tratamento que melhor se adequará a cada situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por sua colaboração!